quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Errar é humano


O único homem que não erra é aquele que nunca fez nada.

- Eleanor Roosevelt

No google "errar" é definido como:

verbo
  1. 1.
    incorrer em erro, em engano.
    "errou todas as questões e foi reprovado"
  2. 2.
    deixar de acertar em.
    "disparou com otimismo, mas errou o alvo"

Eu gosto de pensar no erro como um ensaio sabe? Afinal, tudo nessa vida é perspectiva. Um problemão pode virar um probleminha dependendo da maneira que olhamos pra ele.
Eu gosto da idéia do erro como como deixar de acertar, tira um pouco aquele peso de "o mundo vai acabar se eu pisar na bola".
Eu diria que muitos tem um medo quase que patológico de errar, um errofobia. (Inventei agora okay?) e isso vem em partes da nossa cultura midiática a la revista Caras onde tudo é exposto e julgado (alou facebook). Falando de rede social, vamos pensar no caralivro mesmo. Rodando lá pela sua timeline você tem a impressão que todo mundo é perfeito ou quase? Eu imagino que sim porque é isso que as pessoas querem (muitas delas), parecer perfeito.
Foco na palavra PARECER. 
Querem mostrar que a vida é perfeita, o corpo é perfeito (e da-lhe photoshop e edição pra isso), os filhos são perfeitos, o casamento, o trabalho....porque assim fica fácil de evitar olhar pras próprias dificuldades.
E tem muita gente que entra nessa onda e acredita nessa vitrine. Isso mesmo, vitrine. Digo mais, é encenação pura.
Pode até ser que algum ser iluminado tenha essa vida "dita" perfeita, segundo as nossas concepções mas quem disse que é livre de problemas? E de erros?
É verdade que somos julgados não pelo que fazemos de certo mas pelo que fazemos de errado. Muitas vezes isso acontece, e eu digo, bola pra frente! 
Quem tem que estar em paz com as suas decisões é você mesmo! 
É nesse contexto que eu digo: vamos com calma e vamos colocar o pé no chão. 
Não tem como minha gente, errar é humano, o que nós temos é que nos dar o direito de errar.
A questão não é não errar, é quando você errar como vai lidar com isso?
É se maltratando, se xingando ou de uma forma mais positiva, digamos tentando aprender com a situação pra fazer melhor na próxima ou não fazer?
O problema de não se permitir esse processo de auto avaliação não é que você deixa algumas coisas de lado, é que você passa a viver com medo de sair da zona de conforto, de tentar algo diferente ou ainda, de tentar fazer melhor. 
Acaba que você deixa de crescer e aprender e VIVER por ter medo de errar. E isso não é vida.
Você conhece alguém assim? Talvez você tenha sido até agora um errofóbico.
Não se culpe, isso acontece com todos nós. Saiba somente que é possível mudar. Como?
Se dando permissão pra ser humano e com isso errar.
A partir do erro, você pode pedir desculpas, tentar consertar a situação ou simplesmente aprender com isso pra não fazer de novo.
Existem muitas opções aí dependendo da situação.
Algumas vezes as consequências vão ser ruins e outras nem vão ser tão terríveis como você pensava e acredite, você pode conviver com as consequências ruins.
O que acontece é que na nossa cabeça o monstro se torna muito pior e aí o risco parece muito grande. Mas pensa bem, qual é o maior problema, pisar na bola TALVEZ em alguma situação e manejar ou deixar de crescer e viver encalhado?
Você decide o que parece melhor. 
----------------------------------------------------------------------------------

Gostou do texto? Tem alguma dúvida, alguma vivência pra compartilhar? Deixa um comentário aqui no blog ou me manda um email que a gente conversa mais ;D
Um grande abraço

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

exercício da semana


Queridíssimos, hoje vou testar algo diferente.
Vou deixar um exercício prático pra vocês ao invés de um mega texto. Vamos lá?
Eu quero que vocês tirem um tempo do dia de vocês (pelo menos uns 10 minutos viu?) pra se fazer 2 perguntas:
1. O que é felicidade pra mim?
2. O que me faz feliz?

E quero que escrevam em um caderninho ou no celular o que vier a mente ;D
Escrevam mesmo e me contem viu? Pode ser nos comentários ou podem me mandar um email!
Um grande abraço

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

A crise no Espírito Santo


Pra quem não sabe, eu sou do Espírito Santo, moro aqui.
E pra quem não sabe, estamos enfrentando uma crise na segurança pública pois a polícia militar está de greve desde domingo.
Uma onda de crimes tomou conta de diversos municípios e o estado está um caos. Ninguém sai de casa, as escolas estão fechadas, hospital, postos de saúde, comércio, tudo fechado.
Com exceção de um ou outro posto de saúde em alguns munícipios e um ou outro hospital também, além de poucos supermercados que estão absurdamente lotados.
As pessoas entrando em desespero já depois de ficar a semana inteira trancados em casa sem poder sair pra trabalhar ou poder pagar as contas.
As ruas estão absurdamente desertas.
A mídia nada relata ou minimiza muito a situação por aqui e embora o meu bairro esteja relativamente tranquilo tem lugares onde virou anarquia mesmo.
Não tem ônibus circulando por conta da falta de segurança e muita gente já morreu.
Nessas condições eu não tenho nem cara nem vontade de postar nada no blog além desse texto.
O exército está nas ruas fazendo patrulhamento e embora eu não tenha visto, tem vídeos rodando dos tanques de guerra e das abordagens dos soldados nas ruas de Vitória e outros municípios.
A coisa está muito feia pro lado de cá, então quem por um acaso tiver passagem marcada, desmarquem. Não venham.
Quem tiver parente aqui, liguem, mandem mensagem, entrem em contato.
No mais o que vocês podem fazer é divulgar as reportagens, os relatos e a situação de calamidade do estado pra quem sabe a mídia começar a noticiar e fazer pressão no governador pra situação se resolver.
Um abraço




Notícias:
https://www.theguardian.com/world/2017/feb/06/brazil-police-strike-crimewave-troops-espirito-santo
http://novo.gazetaonline.com.br/noticias/cidades/2017/02/caos-na-seguranca-do-estado-vira-capa-dos-principais-jornais-do-mundo-1014022647.html
http://novo.gazetaonline.com.br/noticias/cidades/2017/02/moradores-fazem-vigilia-em-condominios-para-evitar-invasoes-e-roubos-1014022071.html
http://www.folhavitoria.com.br/policia/noticia/2017/02/sem-policiamento-numero-de-homicidios-ja-passa-de-100-no-estado.html
http://www.miamiherald.com/news/nation-world/article131447054.html

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Atitudes pra viver com mais saúde emocional




Eu resolvi falar mais de como você pode cultivar a sua saúde emocional e acho que essa idéia de cultivar uma flor, de florescer é uma metáfora muito apropriada.
A saúde emocional é cultivada e deve ser cultivada com carinho, assim como essa rosa.
Semana passada se vocês lembram bem, eu voltei na definição e falei um pouco sobre como cultivar a auto-observação como ferramenta pra melhorar a saúde emocional.
Como tudo na vida é um treino, prestar atenção em si mesmo também é. O que acontece que torna tão difícil as vezes colocar isso em prática é o automatismo com que levamos nossas vidas. Quanto a isso eu digo, prestem atenção em vocês, nos seus sentimentos, nas suas emoções pois eles são o mapa pelo qual vocês navegam e são preditivos muitas vezes da qualidade da sua saúde a longo prazo (e a curto prazo também).
Pense assim. Você acha que alguém consegue ser saudável (tanto emocionalmente quanto fisicamente) pensando coisas ruins a maior parte do dia?
Alguém que só foca no ruim, no negativo, nas coisas desagradáveis da vida tem como ser saudável?
Olha, se você ainda duvida eu te digo... já existe evidência científica de que esse tipo de comportamento emocional e psicológico leva a uma maior incidência de doenças, tanto físicas quanto mentais. 
Pessoas com esse perfil tem mais chance de desenvolver depressão por exemplo, sabia?
Então pra ficar claro, cultivar a saúde emocional aumenta em muito a sua felicidade no longo prazo além de fazer a vida mais satisfatória. Vamos lá então? 

Uma outra maneira bem legal de cultivar a saúde emocional é...
SEJA GENTIL COM VOCÊ MESMA.
Quantas vezes a gente não pega a chibata e se machuca mais ainda?
Nos sentimos mal porque cometemos um erro...
Nos maltratamos de corpo e alma achando que isso vai nos fazer mais dignas.
Isso faz sentido? 
Na realidade, nem um pouco.
Ser gentil com você mesma é aceitar o que você não gosta, é olhar pra si mesma com carinho mesmo que você não se ame por completo ou tenha dificuldades em se aceitar.
Sabe aquele dialogo interno que temos em que dizemos: você é gorda, você não é o suficiente, você não é inteligente o suficiente, você não é capaz...
Aquele em que dizemos todas as coisas ruins que somos?
Pois bem, é hora de cortar isso.
Quando esse monólogo vier na sua cabeça, diga pra si mesma: eu escolho acreditar que sou....
E insira seu adjetivo!
Eu escolho acreditar que sou bondosa, que sou inteligente, que sou muito mais que minha aparência (Se você tiver dificuldade em dizer que é bonita, pode usar essa frase por exemplo), que sou uma pessoa cheia de qualidades.
Foque no que você tem de mais positivo e deixe isso expandir!
Faça listas das suas qualidades, você pode começar com uma e ao longo do tempo ir acrescentando.
Aprenda a celebrar suas vitórias, por menor que você ache que são.

Isso tudo faz parte de ser gentil com você mesma. E eu te digo que faz uma diferença danada na nossa saúde e na nossa auto estima.
Então da próxima vez que o diabinho da auto crítica e insegurança subir no seu ombro pode dizer pra ele ir se danar!
Ou se quiser ser mais delicada, pode dizer pra ele: okay, essa é sua opinião mas eu discordo!
Quando você se ouvir dizendo "eu sou ...." e algo ruim, pare nesse momento e diga: okay essa é sua opinião mas você tá errado viu! Eu sou sensacional!
;D
E lembre-se, é um treino. Uma prática diária. O diabinho vai aparecer ainda muitas vezes, pode ser que ele dê até um sumiço e depois de muito tempo surja pra te atazanar. Nessas horas lembre-se, recite o seu mantra do amor próprio!
Eu sou.... 
Gentil.
Bondosa.
Inteligente.
Mais que minha aparência.
Uma boa filha.
Uma boa amiga.
Excelente no meu trabalho.
Eu tenho tantas qualidades!
Então sai pra lá diabinho, vai azucrinar outra pessoa!

Depois me conte como foi!
Um abraço!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Como melhorar a saúde emocional: um tutorial



Gente, eu adoro tutorial. Quem me leu por aqui já deve saber disso.  E como havia dito na postagem da semana passada, vou dar sugestões de como você pode melhorar a sua saúde emocional. Mas primeiro, vamos recapitular porque recordar é viver, como meu professor do ensino médio dizia.
O que é saúde emocional?
É a capacidade de gerenciar de maneira adequada e equilibrada as emoções, de modo a gerar comportamentos (mais) positivos para a pessoa.
O que isso quer dizer é que você não precisa ser escravo das suas emoções. Pense nelas como uma bússola interna ou ainda um termômetro que vai te indicar entre outras coisas se o caminho que você está é o que deseja de fato ou ainda te dar pistas de como você realmente funciona.
É muito importante ouvir as emoções sim! Mas como eu já disse antes, leve sua cabeça junto okay?
Então o primeiro passo desse tutorial está ai: ouça suas emoções.

  • Ouça suas emoções (mas leve sua cabeça junto!)

Na correria da vida moderna, muitas pessoas se desconectam de si mesmas. Estão tão ocupadas ou preocupadas, presas dentro de suas inseguranças, ou ainda, sem tempo pra prestar atenção no que estão sentindo.
Se identificou com essa situação? É muito importante se permitir ouvir a si mesmo pra começar. Ouça o que seu corpo e suas emoções estão dizendo. Se algo te irritou, se há um desconforto, um aperto no peito, seu corpo está travado, são sinais para você prestar atenção!
Então pare e pense um pouquinho no por que.
Algo está te incomodando? Aproveite e reflita. Esse movimento de olhar para dentro é essencial para o auto conhecimento!

  • Reflita!

O segundo passo está diretamente ligado ao primeiro, ouvir. 
Refletir sobre nada mais é que analisar de fato uma situação. Nesse caso, digamos que você acordou irritado por algum motivo que você não sabe qual. Você pode levantar e seguir com o seu dia sem ligar muito pra isso, provavelmente descontando sua irritação nos outros ou afetando o seu desempenho no trabalho e nem se dar conta. Algumas pessoas comem mais quando estão irritadas ou tem outras atitudes que podem não ser as mais positivas.
Você pode não notar mas garanto que as pessoas ao seu redor notam. A auto análise é essencial então para poder entender as forças que nos afetam.
Pense agora se você decidir ponderar sobre essa irritação e chegou a conclusão que você foi dormir muito tarde e acabou dormindo menos que o suficiente. Olha que simples, agora você sabe o que pode fazer para acordar mais bem humorado não é?
A auto análise é isso, buscar informações que te façam entender melhor o seu funcionamento pra você poder adequar a sua rotina e seus comportamentos e ser mais feliz.
Gostou?
Então como se faz essa tal de auto análise? Simples.

  • Pergunte-se

No geral não temos muito o costume de nos questionar sobre os eventos, sentimentos e sobre nossos pensamentos. Se algo acontece que nos aborrece, deixamos de lado e seguimos sem nos questionar.
Então pergunte-se.
Por que estou chateado?
Algo aconteceu que justifique essa irritação?
Se nada aconteceu, então da onde está vindo esse sentimento?
Eu já senti isso antes em uma outra situação?
Isso é agradável? Me ajuda de alguma forma ou me atrapalha?
Se me atrapalha, como posso lidar com isso de maneira melhor?

Pode ser que a resposta não venha imediatamente, mas considere isso um treino. Não é da noite pro dia que se corre uma maratona e nem é da noite pro dia que se aprende a obter respostas. 
É fazendo que você vai ficando melhor em fazer as perguntas e consequentemente em se dar respostas.
Todos nós temos um conhecimento enorme a nosso respeito que está ali, esperando para ser usado. Na maioria das vezes o que acontece é que isso fica inconsciente, ou seja, não é algo que percebemos.
Essas sugestões que eu dei vão ajudar a você cavar o seu inconsciente e tirar respostas.
E aí, gostaram? Parece simples ou muito complicado?
Deixe sua opinião nos comentários sobre o que leu ou ainda alguma sugestão de temas futuros que eu vou apreciar ;D
Um abraço!



quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Saúde emocional: você sabe o que é?



A saúde emocional quer dizer o que, você sabe?
Será que quer dizer estar sempre zen, nunca se irritar, ser praticamente um monge budista?
Longe disso!
Quer dizer estar em sintonia com as suas emoções mas não se deixar ser escravo delas.
Pense nisso, existe justificativa pra bater em alguém?
Entao estar nervoso te livra da responsabilidade se você bater o carro e matar alguém?
Dei um exemplo bem dramático não foi?
Então algo mais simples... talvez uma discussão acalorada onde você perde a paciência e diz algo que magoa o outro. E agora?
Talvez alguém diga: ah, mas eu estava muito nervoso ou eu só fiz isso porque fulano fez aquilo ou isso...
Deixando de lado as desculpas e analisando por outro ângulo: não, estar nervoso não justifica machucar alguém ou pelo menos vamos concordar que isso não é certo.
Se esse cenário parece difícil pra você, então tente imaginar outra situação onde você esteja dominado por uma emoção e decida agir baseado nela.

  • Sentiu saudade do ex ou da ex que te fez tanto mal e resolveu ligar. Resolveu voltar e... deu tudo errado, é claro.
  • Ficou irritado com o chefe e mandou ele lá praquele lugar...
  • Chegou em casa nervoso e chutou o cachorro.

Faz sentido isso?
É claro que não. Nessa vida em sociedade muitas vezes precisamos conter nossas emoções ou pelo menos sabemos que não é de nosso interesse agir de acordo com elas ou vamos gerar um mal maior para nós mesmos.
A saúde emocional é saber fazer essa distinção!
Saber ouvir e identificar o sentimento, da onde ele vem, talvez até por que ele surgiu e então tomar uma decisão consciente de como lidar com isso.
Eu diria que temos uma boa saúde emocional quando fazemos uso das nossas emoções de maneira construtiva e equilibrada. Quer dizer basicamente que o indivíduo sabe gerenciar as emoções de maneira a não se engajar em comportamentos auto destrutivos.
Melhor ainda, uma pessoa com uma saúde emocional em dia sabe a diferença entre conhecer as suas emoções, entendê-las e como agir levando em consideração o que sentem mas sem se deixar ser escravizados pelo sentimento do momento.
Essa capacidade é uma das mais importantes e uma das mais ignoradas hoje em dia eu diria. Afinal, de que adianta você ser extremamente competente na sua atividade profissional mas não saber lidar com seus colegas de trabalho, com seu chefe ou clientes?
Com certeza você deve conhecer uma pessoa ou ter escutado já de pessoas brilhantes que não conseguem parar em emprego ou ainda se manter em um relacionamento estável.
A incapacidade de gerenciar as próprias emoções com equilíbrio pode ser um fator muito relevante em ambos os cenários.
Vivemos em sociedade, estamos cercados de pessoas o tempo inteiro e somos criaturas que sentem. Animais da emoção por assim se dizer.
Temos que equilibrar cobranças internas, externas, regras sociais e uma série de aspectos pra poder viver em uma sociedade, correto?
Mas é aí que muitas pessoas tem dificuldade, em saber lidar com as próprias emoções.
Eu não sei dizer o quanto isso aparece no consultório quando estou atendendo. É muito se não todas as vezes.
Pessoas diversas que não sabem identificar o que estão sentindo, querendo resolver um problema mas sem notar que a questão na verdade é a emoção que aquilo gera.
A saúde emocional só pode ser criada a partir do auto conhecimento. Só podemos gerenciar aquilo que conhecemos.
Se você é gestor de uma empresa, como você trabalha se não conhecer a fundo as nuances daquele ambiente? Tem como fazer um bom trabalho assim? Resposta óbvia: não né.
No geral pessoas desligadas das suas emoções estão constantemente dando tiro no escuro. Elas caminham pra lá e pra cá sem saber o que estão fazendo direito ou por que, só sabendo que "se sentiam mal" ou "se sentiam bem".
É assim que você quer viver sua vida?
Se não é assim então trate de embarcar em uma viagem de auto conhecimento!
Semana que vem eu vou dar umas idéias de como pode melhorar a sua saúde emocional ;D
Vou tentar fazer um passo a passo mais simples, já que eu adoro tutorial ;DDD
Até mais!


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Estou de volta



Queridos e queridas, eu tirei umas merecidas férias! 
Acho que eu esqueci de avisar aqui que ia tirar um período longe das postagens do blog pra recarregar as energias. Peço desculpas mas eu sou um pouco esquecida mesmo ;D
Maaaaas, eu voltei! Com a corda toda!
E pra comemorar a minha volta vou falar sobre resoluções de ano novo!
Não sei vocês mas eu adoro começo de ano. Primeiro porque geralmente eu tenho mais disposição, eu descansei, tirei um tempo e estou mais animada. Segundo porque é uma segunda chance, um recomeço. Eu pelo menos vejo dessa forma. 
Eu sei que pra muitos é uma chance de colocar em dia pendências do ano passado, pra outros pode não ser tão positivo assim mas vou desafiar vocês a pensar nesse 2017 como uma nova chance, de fazer melhor!
Então no espírito do pensamento positivo queria falar com vocês sobre como criar resoluções de ano novo e de fato colocá-las em prática.
Vocês conhecem essa história, é um tal de pular ondinha, de dizer que quer perder peso, que quer começar o verão e ir pro carnaval magra, que quer uma promoção e... nada. Não sai do papel.
Aliás, as vezes não sai da própria cabeça da pessoa. Já viram isso acontecer não é?
É muito comum.
Ficamos no desejo e só. Como se bastasse.
O desejo é essencial pra começar, é ele que vai ligar o motor por assim se dizer mas o carro não anda sem gasolina não é? Precisamos de combustível e enquanto muitos dirão que isso é força de vontade e determinação eu diria que pode ser organização e planejamento também.

Então vou escrever aqui um passo a passo simples pra você elaborar as suas resoluções e colocá-las em prática. Vamos lá?


  • Saiba o que você quer
Parece fácil mas tem gente que se embola ai mesmo. Não sabem ou acham que sabem mas na verdade não fazem a menor idéia. A melhor maneira de descobrir é de fato se perguntando "o que eu quero pra mim esse ano"? e se dando permissão pra ouvir a resposta.

  • Organize seus pensamentos: escreva
Escrever é uma das melhores maneiras que eu conheço pra organizar o pensamento. Você pode fazer uma lista solta com o que vier na sua cabeça só pra começar e depois organizar ou ir pensando com cuidado enquanto anota uma meta por vez. O que ficar melhor. O importante é anotar pois depois você vai poder olhar pra essa lista e ver as suas metas.
É uma ferramenta muito importante que muita gente não valoriza.
Outra coisa que eu sugiro é ler em voz alta depois de escrever e ver o que vem pra você. Pode ser ler pra um amigo ou pra um parente também se quiser.

  • Seja específico
Muita gente peca na hora de escrever na falta de especificidade.
Como você vai traçar um plano pra chegar em um lugar se não sabe onde é?
Complicado isso.
Já pensou decidir viajar e fazer os preparativos sem saber pra onde você está indo?
Pense agora. Você decidiu viajar e no seu destino você preencheu Ásia.
Mas gente, a Ásia é bem grande não é? Como você vai organizar a viagem sem saber exatamente pra quais países você irá viajar?
Mesma coisa com as metas, fica difícil atingir um objetivo se ele é vago.

Exemplo: ao invés de escrever "quero perder peso", foque em quanto peso você quer perder, em quanto tempo e de que forma.
"Quero perder 5kg ao longo de 3 meses fazendo exercício e dieta" é muito mais específico e mais fácil de visualizar. Entendeu a diferença?

  • Descreva as atitudes necessárias pra atingir sua meta

Se você quer perder peso, 5kg ao longo de 3 meses, pode descrever como atitudes necessárias: procurar um clínico geral e fazer um chekup, marcar uma consulta com uma nutricionista, pedir a uma amiga pra se matricular na academia com você. Etc. etc.
São muitas possibilidades e só você vai saber o que cabe na sua vida.


  • Faça
Carregue sua lista com você, decrete um tempo pra tomar essas atitudes e coloque em prática!
Não pense demais!

E aí, o que acharam desse passo a passo?
Ficou faltando algo ou tem algum desses que vocês consideram mais difícil e gostariam que eu explicasse melhor?
Me conta ai nos comentários.

Popular

Tecnologia do Blogger.