quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

como melhorar minha auto estima?

No artigo passado citei brevemente as crenças limitadoras e disse que ia explicar melhor no próximo a sua relação com a auto estima.
Então.... cá estou eu!!
Lembrando bem,  eu tinha dito que nossa auto estima depende em grande parte da gente conseguir acreditar que dá conta de uma situação e que é possível dar conta (tem diferença!) ou ainda que posso ter resultados favoráveis como consequência das minhas ações.
Pedi então para você fazer um exercício simples e me dizer se conseguia imaginar o seu sucesso em uma determinada meta.


Quer perder peso e acha que vai se sentir melhor com você mesma? Imagine isso então. Crie essa imagem que você chegou lá, perdeu o peso que queria.  Consegue? Além de conseguir, você se sente bem com essa imagem?
Se você conseguiu, maravilha! Agora se esse não foi o caso ou você se sentiu mal com essa imagem, vamos falar sobre crenças limitadoras.

O que é uma crença limitadora?
 Bem, como o nome já diz é algo em que você acredita que te limita de alguma forma.
Cabe lembrar que muitas vezes se não for na maioria, elas são INCONSCIENTES.
O que isso quer dizer? Quer dizer que você pode estar se limitando (na sua auto estima por exemplo) sem saber disso!
Crenças limitadoras levam muito tempo pra serem construídas e tem um forte componente social. Pra você entender melhor, vamos fazer um exercício criativo aqui okay? Segue meu raciocínio.
Imagine uma mulher que desde criança ouve dos pais e amigos que é muito preguiçosa e que não tem nada de bom pra oferecer... sendo uma criança ou adolescente e ainda estando em processo de formação, é bem possível que ela tenha acreditado nisso! Mas ela acreditou nisso com tanta força que essa virou a opinião que ela tem de si mesma!
E o pior, ela provavelmente nem lembra disso.
Entendem a cilada?
Agora.... pense comigo.
Quais você acha que são as chances dessa mulher se envolver em um relacionamento amoroso saudável?
E saber se impor e dizer não quando alguém faz um pedido que a prejudica?
E gostar do seu corpo e de si mesma?
Essa é a cilada da crença limitadora. Essa molda a sua auto imagem e pode detonar a sua auto estima e te atrapalhar a fazer as mudanças que deseja acontecerem. E o pior, você nem vai saber disso. Provavelmente só vai notar que nada que você tenta dá certo e que você se sente empacada.
Então como mudar essas crenças?
Vou puxar a sardinha pro lado da auto estima, mas esse processo serve pra qualquer tipo de crenças limitadora.

Primeiro de passo:  identificar quais são as suas crenças limitadoras a respeito da sua auto estima.
A melhor forma que conheço de fazer isso são com PERGUNTAS.
Isso mesmo, se pergunte ao invés de afirmar.

Você pode se perguntar por ex:
O que acho da minha auto estima? Poderia ser melhor?
O que eu quero melhorar em mim mesma?
Eu me acho bonita?
Eu me acho interessante?
Quais são as minhas características positivas?
O que eu tenho de interessante pra contribuir com o mundo?

Essas são algumas delas, mas existem milhões de perguntas que podem ser feitas. Vai depender da situação de cada um, afinal, existem muitos motivos para que sua auto estima não esteja muito boa (eu vou explicar melhor na semana que vem!)
Se você estiver se perguntando mas pra que isso tudo, fico muito feliz. Você já pegou o jeito da coisa!
Piadas a parte, essas perguntas tem um proposito (calma lá que vou chegar nisso!).
Agora, tendo você conseguido identificar essas respostas você pode passar pro segundo passo que seria entender da onde isso veio, ou o por que.

Se eu me acho feia e pouco atraente... por que acho isso? Da onde isso surgiu? Será que foi quando eu era criança? Será que alguém me disse isso em algum momento da minha vida ou passei por alguma experiência que me fez acreditar nisso? Tente lembrar de experiências que podem ter te marcado de alguma forma.

E então, com essas respostas, você a formar o quebra cabeças da auto estima.
O que acontece é que a partir do momento que você começa a entender os fatores que estão minando a sua auto estima, você pode começar a mudá-los!
Se você identificou que tem crenças limitadoras e entendeu ou pelo menos tem uma idéia da onde elas podem ter vindo, é mais da metade do caminho andado!
Afinal, só podemos mudar aquilo que conhecemos a nosso respeito.

Vou dar alguns exemplos de crenças limitadoras pra ficar mais fácil de visualizar.

Utilizando aquelas perguntas que citiei, posso descobrir por exemplo que não acredito ser possível que eu seja amada já que sou desinteressante, pouco atraente e não sou muito divertida. Não acredito que alguém vai se interessar por mim, bem, pelo menos não alguém que preste.
Como consequência eu me envolvo em muitos relacionamentos abusivos ou que não são o que eu queria exatamente por não achar que consigo “coisa melhor”. (Conhece alguém assim?).
Ou não consigo me ver sozinha então quico de um relacionamento pra outro sem nem conhecer a pessoa direito e me decepciono quando vejo que ela não é quem eu imaginava.
E isso tudo, todas essas experiências que eu acabo escolhendo inconscientemente só reforçam a idéia de que eu não consigo achar ninguém que me ame. Além disso, novas crenças podem se formar de que “homem nenhum presta” por exemplo.

Então é isso!
Até semana que vem

0 comentários:

Postar um comentário

Popular

Tecnologia do Blogger.