quinta-feira, 7 de abril de 2016

O mito da competição feminina

"Fulana é invejosa.
É recalcada. 
Isso é inveja porque eu sou linda, sarada e magra e ela é... gorda."

Sim, gorda. É o pior xingamento que nós mulheres podemos fazer umas as outras, aparentemente.
(Claro que eu discordo.)
Se me chamassem de político eu ficaria muito mais ofendida. Ou de desonesta. Cruel.
Mas aparentemente, nos sentimos ofendidas quando nossa beleza é questionada, por isso gorda é geralmente a palavra que mais utilizamos quando queremos machucar uma mulher. Isso e a outra palavra (put*, vadi* ).
A outra, a periguete (e invariavelmente todas são em algum momento da vida) é sempre a odiada. A que está querendo o seu boy magia, se jogando no seu marido... a outra é sempre o perigo. 
Ser gorda é o terror da existência, ser feia também. A aparência é só o que vale.
É isso que somos ensinadas a reproduzir, mesmo sem percebermos. Fazemos isso com nós mesmas e com as outras.
Nós mulheres fomos ensinadas que estamos aqui pra competir com outras mulheres. De preferência por homens. Podem reparar, o assunto nas rodinhas femininas é quase sempre esse. Na balada, essas meninas (as que chamamos de pirigas) são olhadas torto pelas outras.
É o tamanho do vestido, é o decote, é o cabelo... é o jeito de falar.
Não competimos só com as periguetes é claro. Nem falamos mal só delas.
Isso não acontece só na balada.
Competimos com estranhas na rua.
“Será que estou tão bem vestida?”
“Nossa, ela é tão magra, preciso de uma dieta.”
"Nossa, que roupa ridícula"
"Afe, e esse cabelo?"
"Blush chinelada não né amiga, para que ta feio"
Competimos no trabalho, competimos em casa... competimos com a vizinha.
Criticamos umas as outras e nos criticamos com dureza.
Então eu pergunto: será mesmo que mulheres são inimigas naturais umas das outras? Somos falsas, invejosas, fura olho e afins?
Eu discordo.
Claro que existem mulheres desonestas, assim como existem homens. Mas parece que a má fama fica toda conosco.
Eu acredito, aliás, eu sei, que isso é um baita mito que foi inventado em algum ponto da história e que beneficia algumas pessoas.
Se estamos sempre competindo umas com as outras, vamos nos ajudar? Difícil.
Se estamos sempre odiando a outra porque ela é mais bonita, é mais fácil empurrar um monte de porcaria que não precisamos? Sim. Só reparar que essa é geralmente a mensagem de quase toda propaganda voltada pra mulher. 
“Seja a mais bela”, “brilhe mais que as outras”, “chame a atenção daquele... homem (de novo!)”.
Se acham que eu estou exagerando, passem a reparar as revistas, as mídias sociais, os anúncios.
E sabe quem sai perdendo? Eu. Você. Sua irmã. Sua mãe. Nós, mulheres.
Perdemos a chance de ter grandes amigas e companheiras, de dividir nossos problemas e nos ajudar.
Pois só nós sabemos o que é ser mulher nessa sociedade e o quão difícil é.
Basicamente o que quero dizer é que nós mulheres não somos inimigas por vontade divina. 
Isso é uma grande invenção social e um mito, como eu disse.
Minha sugestão é... vamos mudar esse cenário.
Vamos parar de reproduzir essa mentira.
Sabe como?
Comece a perceber as mulheres ao seu redor e na próxima vez que for falar de alguma delas, pense com carinho, como gostaria que falassem de você.
Você quer ser a recalcada, a invejosa, a falsa, a piriguete, a inimiga?
Ou quer ser a amiga, a companheira, a dedicada, a inteligente, a solidária, a gentil?

A escolha é nossa.
Vamos fazer melhor?

2 comentários:

  1. Adorei o texto, tive muito boas amigas durante a minha vida, mulheres de bom caráter, companheiras e divertidas. Assim como também tive amigos muito bons também, meu namorado por exemplo começou como um melhor amigo. Gente ruim existe em qualquer grupo social, seja profissional, na igreja, nos cursinhos, jogo de futebol e por aí vai. O errado é tratar toda uma massa de gente por causa de uma minoria bem pequena mesmo. E acho que o que falta nas mulheres é o pensar mais sobre o que é feito da nossa imagem para nós mesmas, não podemos nos enxergar através dos comerciais e do marketing todo investido para nos fazermos sentir mal. Hoje sou uma mulher mito melhor pois passei a refletir sobre a sociedade e o que ela faz não só com a mulher, mas com todas as minorias em si.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá érica!
      Obrigada pelo comentário!
      É isso mesmo. Você está super certa!
      Podemos e devemos dar a chance pra outras mulheres se tornarem nossas amigas.
      Esse tipo de reflexão que eu propus e que você mencionou é bem importante mesmo pra gente parar de "comprar" tudo quanto é idéia que vendem pra nós, mulheres. E é assim mesmo. Nós compramos essa idéia de que mulheres são falsas e etc e isso só nos atrasa!
      ;D
      Um abraço e parabéns pela reflexão

      Excluir

Popular

Tecnologia do Blogger.