quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Por favor, parem de justificar traição


Olha, um buraco negro abre e eu me jogo lá dentro toda vez, toda santa vez que eu ouço pessoas (sejam homens ou mulheres) justificando traição.
Deixo claro que não estou falando de perdão. Se alguém escolhe perdoar o parceiro que traiu é somente da conta dessa pessoa e novamente, quem sou eu pra julgar não é mesmo? Então não estou julgando.
Quando falo de traição, estou falando da amorosa, onde há um parceiro afetivo e um relacionamento íntimo entre duas pessoas. Embora existam muitos outros tipos (traição entre amigos, parentes, colegas e etc) eu estou escolhendo falar especificamente dessa.
De novo, não estou aqui pra julgar quem escolhe ou por que escolhe justificar uma traição, nem estou aqui pra fazer ninguém se culpar por isso ou culpar o outro. Você sabe porque faz isso.
Estou aqui fazendo um apelo sincero pra parar com essa palhaçada. Justificar é infantilizar o outro, como se ela ou ele não soubesse o que faz ou fosse incapaz de se controlar. Pelo amor de deus, somos todos humanos racionais não somos? Então temos como nos controlar a menos que a pessoa em questão tenha uma lesão no lobo frontal (estou falando sério).
Uma traição é uma quebra na confiança. Você entrega seu corpo (muitas vezes), seu coração, deposita expectativas, faz um acordo com outra pessoa e divide sua vida, suas angústias e decepções. Ela te jura fidelidade, jura que vai honrar a promessa que vocês fizeram. E aí ela caga tudo.
Claro que estou falando de relacionamentos expressamente monogâmicos, onde há fidelidade implicada. A regra geralmente é que o casal só pode sair e se envolver romanticamente com o parceiro. Certo?
Existem outras configurações como relacionamentos abertos onde não há essa regra ou ela é flexibilizada. Não estou falando desses casos e só pra deixar claro, também não estou criticando esse tipo de arranjo. Cada um sabe o que lhe faz feliz.
Voltando... traição não se justifica pelo simples motivo que não se justifica.

to mentindo?

Se você está pensando:
“ah, mas eu engordei.”
“ah, mas eu me deixei perder a vaidade.”
“ah, mas estávamos juntos a muito tempo”
“ah, ele/ela estava bêbado” (só jesus na causa...)
“ah, ele é homem.. “ (essa dói no meu útero)
“ah, mas a culpa foi dela/dele/ do outro (aquela v****, piriguete)”
“ah, a culpa foi minha... eu não dei atenção”
“é que eu engravidei..sabe como é.”
“estávamos a muito tempo sem fazer sexo”
Pare. Somente pare.
Pode ser que de fato o relacionamento não estava legal, que o outro estava infeliz, isso acontece.
Mas mesmo assim, que falasse.  É o mínimo de consideração. Não muito, só o mínimo mesmo.

Aqui vale um parênteses:
Claro que existem exceções, em relacionamentos abusivos por exemplo, as vezes a traição é uma saída. Nesse caso eu nem chamo isso de traição assim como não considero relacionamentos abusivos de fato relacionamentos, pois estão mais pra cárcere privado. 
Mas isso é assunto pra outra hora.

Das duas uma: vocês iam terminar ou iam buscar resolver essas questões, caso possível.
Veja bem, nem sempre dá. A outra pessoa pode estar fazendo cobranças absurdas que você não tem como cumprir e tudo bem se é o caso, se você não tem como cumprir.
A questão aqui é traição. Se não estava bom, existe terapia de casal, existe aconselhamento para casais na igreja (caso você prefira), existe conversa, existe término também.
Você também pode aceitar perdoar a pessoa e retomar o relacionamento e isso é escolha sua e direito seu.
Só não justifique. Trair é um lapso no caráter, simples assim.
Quando alguém traí, fere o outro. Não existe motivo pra ferir alguém dessa forma.
Como eu disse. Estava ruim? Senta e conversa. Não dá pra conversar? Taí um bom sinal de que tá na hora de repensar esse relacionamento.
Dá pra mudar? Então vamos tentar, se quiser.
A outra pessoa não está sendo razoável? Expresse sua raiva, descontentamento, decepção. O que quiser. Mas não justifique traição. Okay? Okay.
Vamos fazer uma campanha alegre pras pessoas se conscientizarem que traição não se justifica? Todos os seres humanos do planeta vão se beneficiar.
Caso você discorde do meu ponto de vista, sinta-se livre pra expressar sua opinião. Só peço que não venha com tochas e pedras que eu não sou obrigada.
Agradeço.


4 comentários:

  1. Seu texto me veio em boa hora e vou dizer o motivo.
    Ontem na hora da janta no trabalho eu estava indo em um pequeno grupo bater meu ponto, e vinha caminhando e escutando a conversa deles. Uma das colegas do grupo dizia que o marido que é motoboy nas horas vagas não pegava cliente mulher, ainda mais se era muito bonita quando ela estava por perto, porque se fosse o caso de pegar a cliente ela fazia um barraco. Então ele preferia ficar sem ganhar dinheiro do que ter que vê-la brigar no meio da rua. Sendo que essa minha colega de trabalho já nos contou que traiu o marido com o segurança da loja onde ela trabalhava antes, diz ela que não resistiu pois ele era muito bonito. Ela chegou a ter relações sexuais com ele e em seguida com o marido, e por arrependimento acabou entrando na igreja...
    Eu fiquei analisando a situação e achei que talvez ali só eu achasse tudo isso absurdo. Logicamente o marido não suspeita da traição, e toda vez que o vejo indo busca-la me dá uma aflição enorme porque eu NÃO aceito esse tipo de coisa, preferia nem saber dessa história.
    Acho que o mundo em que eu vivo não é pra mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erica, estamos juntas nessa saga, de achar que o mundo onde vivemos não é pra nós.
      Eu NUNCA me senti confortável nos lugares que eu ocupava. Sinceramente, sempre me achei a estranha no ninho sabe. E isso é um otimo sinal.
      Ser sã em um mundo onde todos são doentes não é ruim.
      Eu gosto muito dessa frase. Claro que nem todos estão doentes de fato mas os valores estão bem deturpados na minha humilde opinião.
      É questão de achar onde você cabe ou criar esse espaço pra você sabe, com pessoas que tenham valores similares.
      Mas olha, nem tudo está perdido.
      Nem todo mundo relativiza traição ou pensa dessa forma que você descreveu. Existem pessoas de todos os tipos nessa vida, a questão é encontrá-las. =D
      \o/

      Excluir
    2. Só é preciso lembrar que cada um dá o que tem... essa mulher precisa crescer e aprender muito na vida, mas a jornada é dela. Se a gente for ficar triste, estressada, sei lá o que quando vemos essas coisas, vamos nos destruindo aos poucos!

      Excluir
    3. Sim Nani, realmente, cada um dá o que tem.
      E eu não estava falando só de uma mulher no texto, pois homens também fazem isso, mas de um fenômeno social que eu noto de querer justificar como se a traição fosse culpa do outro.
      Como se acontecesse por uma falta que há no outro, seja homem ou mulher sendo que o caso não é esse. Trair é uma decisão e sendo assim é passível de responsabilidade.
      Dito isso, concordo com você, a jornada é de cada um mesmo.

      Excluir

Popular

Tecnologia do Blogger.